quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Serviço Social - Vitória histórica: PL 30 horas é aprovado no Senado!


Luta da categoria é reconhecida. Ato Público com 3 mil pessoas foi fundamental

Os/as assistentes sociais já podem comemorar: às 20h50 desta terça-feira, 3 de agosto de 2010, o projeto de lei 152/2008, de autoria do deputado Mauro Nazif (PSB-RO) e que define a jornada máxima de trabalho de assistentes sociais em 30 horas semanais sem redução salarial, foi aprovado no plenário do Senado Federal, em Brasília (DF). Após anos de lutas em defesa dos direitos da categoria e em busca de melhores condições de trabalho, assistentes sociais mobilizados/as com as entidades representativas do Conjunto CFESS-CRESS, da ABEPSS e da ENESSO conseguiram uma vitória histórica para o Serviço Social. O PLC 152/2008 segue agora para sanção do presidente Lula.

"Foi a vitória mais linda que conseguimos nos últimos anos para a profissão. Resultado de uma luta coletiva, ela materializa o tema que trouxemos para o CBAS, "lutas Sociais" e demonstra a importância da mobilização da categoria junto aos movimentos sociais em defesa das condições de trabalho da classe trabalhadora. Hoje é o direito de uma classe trabalhadora que está sendo conquistado", emocionou-se a presidente do CFESS, Ivanete Boschetti. "Quero parabenizar os/as milhares de assistentes sociais e estudantes que vieram a Brasília e as milhares de manifestações de apoio que recebemos da categoria em todo o Brasil pela aprovação do PLC 30 horas", completou. Ivanete ressaltou também o trabalho da direção do CFESS, ABEPSS, CRESS e ENESSO para a mobilização da categoria.



Dia histórico e intenso!

Desde as 8h da manhã, assistentes sociais, estudantes e movimentos sociais se uniram no Ato Público na Esplanada dos Ministérios para pressionar os parlamentares a votarem o PLC 152/2008. Como o mote da mobilização era a aprovação do projeto de lei (PL 30 horas), o CFESS agendou uma audiência com o presidente do Senado, José Sarney, durante o Ato Público, para pressionar a Casa a não só colocar o PLC em pauta, mas votá-lo nesse período de esforço concentrado do Congresso, que antecede o "recesso" de parlamentares que sairão em campanha a partir da próxima semana.

Às 11h, no gabinete do senador Sarney, a presidente do CFESS Ivanete Boschetti e a Conselheira Marinete Cordeiro, a presidente da ABEPSS Elaine Behring, a presidente do CRESS-DF Fernanda Fernandes e o Coordenador da ENESSO Mário Pereira de Nascimento Silva conversaram por mais de 40 minutos com o parlamentar para mostrar a importância de aprovação do PLC 30 horas para as condições de trabalho de assistentes sociais de todo o país.

Em defesa da aprovação do PL, Ivanete Boschetti argumentou que, depois dos policiais e professores, os/as assistentes sociais são os/as profissionais que mais sofrem com desgastes no trabalho. "Milhares de assistentes sociais em todo o Brasil trabalham em situações precárias, por 40 e até 44 horas semanais. Trabalhamos viabilizando direitos, frente a situações por vezes dramáticas e graves que atingem parcelas significativas da população brasileira. Estamos expostas/os ao stress e riscos para a saúde".O presidente do Senado indagou se a redução na jornada de trabalho prevista no projeto não resultará em prejuízo para quem precisa do Serviço Social. "Com a aprovação do PLC, novos/as profissionais poderão ser contratados/as para atender a população", respondeu Ivanete.

Depois, o grupo partiu em uma caminhada pelos gabinetes dos/as senadores/as para explicar a importância da aprovação do PLC e conseguir apoio para aprovação. Às 17h, a sessão do Senado foi aberta com o projeto em pauta. Além do grupo formado pelo CFESS, CRESS, ABEPSS e ENESSO que já estava na casa, centenas de assistentes sociais encheram a galeria do Senado para acompanhar a votação. Foram horas de tensão e apreensão. A cada fala favorável dos/as senadores/as pelo PLC 30 horas, assistentes sociais e estudantes comemoravam levantando as mãos. Até que chegou o momento: às 20h50, o PLC 152/2008 foi colocado em votação e aprovado em unanimidade pelo Senado. O grito de "vitória" rasgou a garganta de todos/as assistentes sociais presentes e se espalhou por todo o Brasil.

Na saída do Congresso, assistentes sociais e estudantes, às lágrimas de alegria, cantaram juntos/as "Pra não dizer que não falei das flores", de Geraldo Vandré.

Manifestação foi essencial

O Serviço Social estremeceu a capital do país na manhã desta terça-feira. Quase três mil assistentes sociais e estudantes, junto com movimentos sociais e trabalhadores/as de todo o Brasil se uniram no grande Ato Público pelo trabalho com direitos para todos/as. Relembrando algumas importantes mobilizações da década de 80, como os/as próprios/as manifestantes relataram, foram entoadas palavras de ordem contra o avanço do capital e em defesa das condições de trabalho da categoria e dos direitos à terra, à saúde, à educação com qualidade e muitas outras lutas. "Por essa crise não vou pagar, sou trabalhador e vou lutar", gritavam. (...)

Fonte: http://www.cfess.org.br

6 comentários:

  1. E o movimento sindical que estava lá, companheiro??? Até quando vão ignorar a organização sindical dos assistentes sociais que hoje tem 12 sindicatos estaduais e mais 6 em processo de abertura? A FENAS, CUT, CGTB e CTB estavam mobilizados em Brasilia! Parece que a vitória de toda uma categoria tem agora a maternidade exclusiva do conjunto...isso é piada!

    ResponderExcluir
  2. Quero ver se o colega mediador do blog será o censurador de nosso comentário!

    ResponderExcluir
  3. nossa..só de ler essa reportagem me emocionei, nossa categoria está a cada dia mais engajada a mudança.. na luta por direitos...fico mto feliz de pertencer a essa categoria..

    ResponderExcluir
  4. Caro representante SASERS!

    Não creio que o conjunto CFESS/CRESS/ABEPSS/ENESSO (...) estejam ignorando as organizações sindicais. E nem muito menos desprezando a contribuição dessas entidades, na luta por nossos direitos (...)
    A verdade é que a conquista deve ser comemorada por toda a categoria dos assistentes sociais. Afinal tds nós somos vitoriosos. O conjunto não está de forma alguma tentando trazer os méritos da conquistas para si.

    Quanto a questão de " censurar" o comentário. Quero deixar claro que posição desse Blog e de seu Editor, jamais vai censurar nenhum comentário. Exceto os de conteúdo ofensivos ou que desrespeitem os bons costumes da moral e da ética.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns a categoria dos Assistentes Sociais por esta luta e uma mostra da força. Sabemos que a maioria das empresas públicas e privadas já estão adotando a jornada de trabalho em 30 horas semanais. Tudo isto mostra que os trabalhadores estão mais conscientes e sabem de uma forma ordeira conquistar seus espaços.

    ResponderExcluir
  6. e o piso salarial,!!!! quando vem ?

    ResponderExcluir